sexta-feira, 18 de maio de 2007

Analog Days

Outra vez o Analog Days. Começo a pensar que este filme me fez mal. Como é que é possível haver tanta semelhança entre o grupo de jovens Californianos que o Mike retracta no seu filme, com os jovens Portugueses. Quem me conhece sabe que detesto este tipo de discurso, mas a verdade é que este pais está na valeta. Alguém com menos de 40 anos tem perspectivas de futuro?! Não há névoa nenhuma no horizonte! Actualmente tudo é bastante claro: este caminho não parece levar a lado algum. Podias-se até dizer que a culpa é de governo A, B ou C, mas não deve de ser assim tão linear. Nos bolsos do Zé povinho até os remendos estão rotos, mas não é so isso que torna cinzenta esta juventude. Alguém me explica porque é que a partir daquele dia 11 toda agente teve que perder a confiança! Tornamos os dias de hoje mais incertos do que 24 meses à 10 anos atrás. Não se trata apenas de uma crise económica no rectângulo. Esta crise pertence à juventude do chamado "mundo ocidental". É uma crise existencial e daquelas bem fo"#$"!

2 | comentários:

Rosa disse...

Ninguém acredita quando digo que esse foi o melhor filme que vi nos últimos tempos.
A nossa juventude é desitressada e amorfa, cada vez mais! E isso é que é preocupante. Não se vê ninguêm a lutar pelos seus direitos. Por exemplo, no IST quando saiu a nova regulamentação da época-especial que exclui os trabalhadores-estudantes, o que é que se fez? o que é que se ouviu? Nada, e quem cala consente! Depois chegará a Setembro e aí é que se vão queixar...
Mas isto não acontece apenas no Ensino Superior, se fores ao Secundário, aquele pessoal está tão entretido com computadores e saídas à noite que nem se apercebe do mundo à sua volta. Se fores perguntar a alguém qual é o perfil do candidato que venceu as últimas eleições presidenciais em França, ninguém sabe. (daí aquele stencil da bolha actimel - sai do teu mundo ;)
Mas isto vai ser cada vez mais assim, neste momento são os do secundário, mas os putos da escola primária com overdoses de Morangos com Açúcar... serão eles a sociedade e a massa crítica de amanhã? é assustador, mas sim.

Quanto à insegurança e à perca de confiança, não é por acaso que nós somos a geração 500 euros... Não temos garantias quanto ao nosso futuro, o desemprego e os trabalhos precários ou mal pagos, o desaparecimento do subsídio de férias e do 13º mês, o desaparecimento progressivo da segurança social e a reforma cada vez mais tardia... é também assustador.
Não temos certezas nenhumas do que será o amanhã, por isso é que hoje vivemos sem confiança, e aceitamos tudo o que nos dão à boca.
Sem contestar.

tiago gonçalves disse...

Falas bem Rosa.
Comemos e calamos! e por mais assustador que seja este cenário, ele parece inevitável. não parece haver segunda via!
%&"$#"