terça-feira, 23 de setembro de 2008

A Concertina

A Concertina, Carlos P. Sousa, Favacal, 2008

8 | comentários:

tiago disse...

apenas duas notas. a primeira para pedir desculpa pela fraca qualidade da gravação, que se deve essencialmente à falta de prática a lidar com o gravador e ao vento que fazia. a segunda nota para dizer que, a descoberta do local para alojamento do MP3, se deve à Menina Limão.

Ric Jo disse...

O Ti'Carlos com as estórias que a vida lhe foi contando. Muito bom, Tiago. Foi durante esta vindima, não? Já agora, qual foi o gravador que acabaste por adquirir? O som tá muito bom, mesmo com o vento.

Abraço!

tiago disse...

boas Ric,

pois, faltou referir que a estória da concertina foi contada durante um final de tarde enquanto o Ti'Carlos e a Amélia apanhavam maçãs. devido às aulas não vou poder estar na vindima que decorre esta semana. com muita pena minha... é uma semana fantástica, pois é muito bom ver a alegria dos meus avós durante a semana. o meu avô, já com 81 anos, de tanto entusiasmo parece ficar com 10 anos a menos ;)

o som não está mau, mas na altura para alem de não estar muito à vontade com o aparelho, tinha a agravante de não querer dar nas vistas com o gravador e ter ainda que proteger o microfone do corpo com o meu próprio corpo.

gostaria de ter feito mais algumas destas recolhas. mas, no final das férias, é a história do costume: um gajo não faz nem metade daquilo que pretendia.

quanto ao gravador, acabei por comprar através do eBay o tal Olympus DS-30, em excelentes condições a metade do preço de loja. pá valeu sobretudo pela qualidade do microfone que não é fixo ao aparelho... enfim, acho que serve para brincar um pouco. ;)

abraço!

Mr M disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mr M disse...

Muito bom Tiago. Sons de vozes lá da terra!

tiago disse...

;)

Mr M disse...

ah, apaguei o outro comentário pq no que lá escrevi fiz confusão com a personagem que transportou a coisa. é da idade

tiago disse...

hehehhe.. pois eu reparei... é completamente na boa... acontece, mas também conheço essa história... quem sabe um dia seja aqui publicada ;)

forte abraço!